Chat do Blog

sábado, 27 de junho de 2009

História Fictícia - Briga das Secretárias 1 parte!:)

Patrícia e Andréia sempre trabalharam juntas. Patrícia no serviço sempre teve o corpo mais mole. Sua carga horária era menor e vivia reclamando e se fazendo de vítima sem contar as intrigas que fazia pelas costa de Andréia. Com o tempo Andréia foi conhecendo melhor sua colega de trabalho e percebendo suas tramóias e falsidades.

Andréia sempre que descobria algo novo ficava profundamente triste e ao mesmo tempo com muita raiva. Com o correr do tempo a raiva foi aumentando e as intrigas já não a deixava triste e sim mais esperta ao perceber que sua colega era muito no fundo frágil emocionalmente mas um lobo que se fazia de cordeiro.

Tudo isso foi acumulando por meses a fio até que depois de uma última tramóia de Patrícia Andréia não aquentou mais e foi tirar satisfação ao fim do expediente, quando as duas se encontravam a sós no escritório numa sexta feira. Andréia já irritada foi chegando junta de Patrícia e já tirando satisfação:

_ Você é mesmo uma cobra, hein!?

_ Hã!? Do que vc esta falando?

_ Não se faça de santinha sonsa, Patrícia. Estou me referindo a mais uma das suas. Não aquento mais.

_ Hãã!!! Sua idiota, para de ser invejosa. Vc é que é sonsa. Não sei do que está falando.

_ Olha Patrícia, a muito que estou me segurando pra não te dar uma surra. Mas você já esta passando dos limites.

_ Então vc quer brigar não é? Ë, vai ser divertido enfiar minha mão nessa sua carinha de tonta.

Nisso Patrícia que estava sentada se levantou e encarou Andréia. No que Andréia enfiou o dedo na cara de Patrícia e foi dizendo:

_ Briga, Luta é isso mesmo que quero agora e quero ver se vc num vai fugir como sempre de suas responsabilidades? Mexeu agora vai ter.

_ Epa! Peraí, fugir eu? Que isso!? Sempre quis te mostrar quem manda aqui. Vamos brigar sim. E vai ser na sala de espera. Lá tem mais espaço pra lutarmos. Enquanto vc fecha as janelas eu fecho a porta da rua para ninguém nos interromper enquanto lutamos.

Como era sexta-feira por volta das 18:00 hs ninguém iria no escritório o mesmo e as duas poderiam se enfrentar se serem interrompidas e mostrar uma pra outra quem mandava. Acabaram de fechar o escritório e se encontraram uma de frente pra outra na sala da recepção. Era uma sala ampla com um enorme carpete e dois estofados que não atrapalharia a luta das duas. Por alguns segundos ficaram se encarando com os olhos cheios de gana para se enfrentarem e mostrar quem mandava no pedaço. Antes de se atracarem iniciou-se um pequeno diálogo:

_ É hoje Patrícia que mostro pra vc o q vc merece. Vou te estourar os miolos e te humilhar com minhas coxas grossas até vc pedir perdão e reconhecer quem é a melhor aqui.

_Andréia deixe de leréia. Vc é que vai experimentar a força do meu braço. Vou faze-la se render e com a cara espremida em minhas pernas vou te humilhar.

A contenda já estava armada. Ambas se olhavam estudando-se mutuamente e girando em círculos com os punhos cerrados prontas a atacar. Ambas estavam de uniforme, calça preta social colada e camisete branca de decote. Andréia tomou a iniciativa e atarracou as mãos nos cabelo de Patrícia que a imitou. Puxando-os para baixo ficaram grudadas pelo cabelo girando em circulo até que Andréia pegou sua adversária pelo pescoço e a jogou no chão. Como Patrícia segurava os cabelos de Andréia essa também foi ao chão. Sobre o enorme carpete da sala de recepção as duas gatas rolavam engalfinhadas já com o suor a molhar seus uniformes. Até que Patrícia conseguindo se soltar gritou:

_Pare Andréia!

_Ué, desiste?

_Não, só queria lhe propor que tirássemos a roupa. Alem de estarem molhando de suor estão me atrapalhando a lutar com vc.

_Ë , nisso vc tem razão. Vamos tirar as roupas, afinal temos que vesti-las depois que encerrarmos a luta.

Ambas foram tirando primeira a blusa e depois a calça. Dobrando-as deixaram sobre o sofá.

Frente a frente novamente se encontravam as duas gatas anciosas pra reiniciarem a briga e mostrar quem mandava. Patrícia estava com calcinha e sutiã de lycra azul marinho e Andréia de sutiã e calcinha cor vinho. Já meio descabeladas iniciaram a luta medindo forças até que Andréia conseguiu dar uma chave de braço em Patrícia jogando-a ao chão e caindo sobre ela. No chão começaram a rolar de um lado par o outro. Ora Andréia estava por cima dominando Patrícia, ora Patrícia dominava a situação. As duas tinham o corpo parecido e força também. A luta estava realmente incrível e equilibrada. O suor tomava conta de seus corpos o que dificultava a dominação devido o suor fazer os corpos se escorregarem. Em determinado momento ambas rolaram para lados contrários e ficaram de pé. Andréia armou os punhos e se pôs em posição de ataque para um pugilato. Patrícia achou interessante mudar a tática da briga e também se pôs em posição de pugilato. Iniciou-se a troca de socos e pernadas. Parecia uma verdadeira briga de rua. Os corpos de ambas brilhavam devido ao suor sob a luz do lustre da sala. Mas como verdadeiras mulheres não suportaram muito a troca de socos e tirando os sutiãs partiram para um catfigther de topless. Agarrando nos cabelos trocavam unhadas nas costas e seios da adversária. Não demoraram a cair com as pernas cruzadas umas nas outras. O cansaço já era perceptível para ambas até que foram afrouxando os apertões e unhadas e se separaram cada uma de um lado estafadas e ofegantes. Depois de uns quinze minutos de descanso foram se levantando e encarando-se novamente até que Andréia iniciou o diálogo.

_Essa luta foi boa Patrícia. Vc demonstrou ser uma boa adversária. Mas esta história não termina por aqui.

_ Também concordo Andréia. Ainda quero te pegar de novo e te mostrar quem é a melhor.

Ambas foram se banhar e trocar de roupa para irem embora. Estavam cansadas e cheias de tesão quando o relógio dava nove da noite. Fim ????

Nenhum comentário :

Postar um comentário