Chat do Blog

segunda-feira, 27 de julho de 2009

História Fictícia- Briga das Amigas - parte 3!!!!

Um ano se passara. Carlos e aline mantinham encontros esporádicos. Carlos fazia o mesmo com tati, que havia se mudado para outra cidade, mas eventualmente saía de balada com ele.

Não raro carlos tocava no assunto da briga que tati teve com aline. Tati sempre dizia que queria uma revanche, mas que o resultado seria diferente.... E aline também sempre falava que não perderia a oportunidade de dar outra surra em tati.

Carlos sabia que seria fácil marcar um encontro entre as duas. Bastava um convite de carlos para que tati o acompanhasse ao clube... e deixasse que aline os visse juntos. O ciúme da loira tornaria a briga inevitável.

E tati também sabia perfeitamente que se fosse ao clube acompanhada de carlos o resultado seria briga entre as duas. Mas era isso mesmo que tati queria. Além de se deliciar dando uma surra em aline, queria mostrar para carlos que poderia ter ganho a primeira briga e ganhar novamente o cara com quem aline estava saindo. Tati queria humilhá-la, ganhando a briga e o namorado, mas não falava para carlos sobre sua pretensão.

Aline já estava com 26 anos, 1,70, coxas grossas, cabelos longos, seios pequenos, loira. Tati tinha 24, 1,62 de altura, morena de cabelos longos, pernas torneadas...

Carlos sabia da gana das duas e armou tudo direitinho. Convidou Tati para sair e foram ao clube. Porém, para evitar que a briga acontecesse dentro do clube, carlos avisou aline antes, de que estaria com tati no fim de semana, e que se estivesse afim de uma revanche poderiam marcar. Aline respondeu que iria acontecer de qualquer jeito, iria pegar a tati pra acabar com a pretensão dela de voltar a sair com carlos.

Quando aline chegou ao clube, à noite, carlos já estava com tati. Aline chegou acompanhada de amigas, e quando olhou para a desafeta, a morena agarrou carlos e passou a beijá-lo intensamente, nitidamente provocando a loira.

A provocação foi eficiente. Aline dirigiu-se à mesa onde carlos estava com tati. Sentou-se entre os dois. Tati não esperava... ficou sem reação.

  • Você tá curtindo essa putinha Carlos? Disse aline.

  • Se você não sair daqui eu vou quebrar sua cara. Respondeu Tati.

  • A é? Da última vez você não se deu bem. Pelo jeito tá querendo outra surra!

  • Surra? Eu vou te mostrar o que é uma surra sua vaca. Respondeu Tati.

  • Então vamos agora... Provocou aline.

  • Me fale aonde que to indo sua loira biscate.

  • Carlos, to esperando no estacionamento. Disse aline.

  • Não demora não vagabunda, senão eu venho te buscar aqui! Disse aline para Tati.

Aline saiu acompanhada de uma amiga. Estava segura de si, tinha certeza de que iria ganhar a briga. Já havia batido em Tati da outra vez e a surra que tinha dado em Nat (ver outra história) no carnaval lhe dava confiança, pois aparentemente Nat era muito mais forte que Tati.

Quando carlos e Tati chegaram ao estacionamento Aline estava dentro do carro, à espera:

  • Vamos para a chácara do meu pai. Disse Aline já saindo com o carro.

Tati entrou no carro de carlos, não continha a ansiedade. Pediu para que carlos não interferisse na briga em hipótese alguma. Carlos ficou um pouco preocupado, lembrou-se da briga de aline no carnaval, como ela era agressiva, e sabia que a loira ganharia com facilidade.

Tati queria mesmo brigar com aline. Ainda quando estavam a caminho Tati tirou a calça jeans e as botas. Ficou só de calcinha e de blusinha. Disse que a calça iria atrapalhar durante a luta. Carlos ficou excitado e Tati começou a se masturbar enquanto carlos dirigia. Abriu as pernas pondo os pés no painel do carro, levou a mão por dentro da calcinha preta, de algodão, esfregava o clitóris. Carlos quis parar o carro e comer a morena... Mas ela disse que não... Era pra ele só olhar... e esperar a surra que ela iria dar em aline. Depois trepariam....

Chegaram à chácara e aline já espeva. Estava descalça, vestia calça jeans e blusinha. Estava encostada no carro, de braços cruzados, esperando por tati. Havia estacionado o carro sobre uma banca de areia. Sim, a briga seria na areia. Era uma noite de calor...

Mal carlos estacionou e Tati já desceu do carro. Foi em direção de aline. A loira segurava um copo grande de cerveja e jougou contra o rosto de tati, molhando-a e chamando-a de vagabunda... Tati não disse nada, apenas deu chute em aline, acertando-a na altura da cintura... a loira foi ao chão... quando aline tentou se levantar foi surpreendida... tati pegou-a pelo cabelo e deu-lhe uma joelhada no rosto... a loira acusou o golpe.... agora você vai apanhar, disse tati, deu outra joelhada em aline... a loira tentou se livrar levando a mão ao rosto, no chão, e dando as costas para tati. A morena novamente não perdeu a oportunidade, foi pra cima de aline. A loira estava no chão, com o rosto na terra, tati a segurava pelo cabelo, montada em suas costas. Cada vez que aline tentava se levantar ou se virar era surpreendida com um soco... foram dois, três, quatro socos. Aline já sentia o gosto de sangue na boca... não conseguia se levantar... tati a provocava... Tá bom assim sua puta, vagabunda... Carlos pediu pra tati parar, mas ela rebateu dizendo que ele havia prometido não interferir... a morena batia sem dó... a loira não conseguia reagir... nitidamente a briga estava definida... mas tati queria humilhar a loira... reage vagabunda, dizia a morena... to cansando de te bater... e soltava tapas e socos... aline não conseguia se livrar da morena, montada em suas costas... aline começou a chorar... e tati a provocava mais... chora sua vaca... a morena se levantou, deixou a loira no chão... deitada, a loira escondia o rosto com as mãos... não se levantava... Tati estava em pé... esperava aline se levantar mas a loira não reagia... Tati pôs o pé na cabeça de aline e a empurrou... não chega mais perto de mim vagabunda.... chamou por carlos dizendo-lhe para mirem embora... tati ainda vistia a calça quando aline se levantou, o rosto machucado e inchado... aline dirigiu-se para dentro da casa sem dizer nada. Tati e carlos montaram no carro e foram embora. Fim?????


Nenhum comentário :

Postar um comentário