quinta-feira, 22 de janeiro de 2015

Conto: Modelos Fight!:).....enviado pela Gi

Conto enviado pela amiga do blog Gi......
 
Muito prazer, meu nome é Brenda.
Eu trabalho para uma agência de modelos, tenho 1,68m, seios médios (porém, redondos e macios), sou branquinha, tenho cabelos castanhos lisos e q vão até meus ombros e um corpo cheio de curvas.
Tenho pouco tempo nessa carreira, mas, já consegui alguns fãs e até mesmo o reconhecimento do dono da agência, porém, infelizmente, sucesso rápido também atrai o conhecido “olho gordo”.
Hoje, após um desfile de biquínis, fui chamada pelo dono da agência e fiquei sabendo q fui escalada para ser a garota propaganda de uma marca famosa de roupas de praia, com certeza, eu fiquei muito feliz com a notícia, pois, o pagamento seria ótimo e sem falar na exposição. Foi nesse momento q uma das meninas deu um verdadeiro surto, essa moça era a Marja.
Marja é uma morenaça, está pouco tempo a mais q eu neste ramo, porém, nunca havia recebido uma proposta assim. Eu sei q ela sempre teve certa inveja de mim, pq eu ia conseguindo o reconhecimento q ela sempre quis, mas, q nunca tinha.
- Marja: Aiai!!! Eu não acredito q aquela vadiazinha da Brenda vai ser a modelo de biquínis daquela marca. Eu não aceito isso.
- Brenda: Calam aí Marja??? Eu sei q vc pode até estar frustrada, mas, partir para ofensas é baixaria, vc não acha???
- Marja: Cala a tua boca??? Eu falo como eu quiser e com quem eu quiser. Vc não é lá essas coisas. Quase nem tem peito, eu admito q vc tem um rosto e um corpo bonito, mas, nem tanto quanto o meu.
- Brenda: Bom, isso eu já não sei. Não fui eu quem estabeleceu o critério para a escolha. Vc é linda Marja, é só ter paciência q a sua hora vai chegar.
- Marja: Eu não preciso da piedade de uma vagabunda q nem vc.
Neste momento, Marja deixou o nosso camarim, ela bateu a porta com tanta força q todos q estavam alí por perto escutaram e ficaram chocados com a cena.

- Marja: Isso não vai ficar assim. Eu vou dar um jeito nela.
Após um jantarzinho em comemoração à notícia q recebi, eu fui para casa, no caminho, eu percebi q uma estranha estava me seguindo tinha algum tempo eu comecei a correr, mas, ela continuava a me seguir, até q cheguei em casa, porém, eu estava tão nervosa q não conseguia colocar a chave na porta.
Do nada, eu vi uma mão colocando um pano humedecido sobre minha boca e nariz. Com certeza, aquilo era clorofórmio, eu senti um mal estar terrível e um sono muito forte e em poucos segundos eu estava inconsciente.
- Mulher: Acorda princesa???
A misteriosa mulher me jogou um copo d´agua no rosto, eu me assustei muito, sentia como se estivesse me afogando e acordei bastante assustada.
- Brenda: Onde eu estou??? Quem é vc??? Pq fez isso???
- Mulher: Vc é modelo ou repórter??? Não temos motivo pra ter pressa, teremos muito tempo para nos conhecer.
- Brenda: O q eu fiz pra vc??? Sabia q isso q vc fez é sequestro???
- Mulher: É sério??? Eu não fazia ideia HAHAHAHA!!! Vamos ao q interessa logo???  Eu fui contratada para lhe dar uma lição. Eu não costumo revelar a identidade dos meus clientes, até pq eu nem pergunto, mas, posso dizer q era uma morena como poucas q eu tenha visto antes.
A mulher fica atrás de mim e saca uma faca, eu pensei q ela fosse me matar, mas, ela cortou as cordas q prendiam minhas mãos.
- Mulher: Princesa, é bom q vc sorria, pois, durante os próximos momentos, tudo o q fizermos será gravado e fotografado. O q vai acontecer é muito simples. Vc só precisa me vencer numa luta, se isso acontecer, vc pega as câmeras, as destrói ou leva para a polícia, q honestamente é o q eu acho q vc fará, por outro lado, se eu vencer, tudo ficará registrado, teremos fotos e vídeos de vc apanhando e caso vc abra o bico, esses vídeos e fotos estarão em todas as redes sociais, sua carreira e reputação estarão acabados.
- Brenda: Isso é loucura. Pq tudo isso???
- Mulher: Digamos q alguém quer se divertir com seu sofrimento. Antes de tudo, vista isso???
A mulher me joga uma sacola, dentro tem um biquíni rosa (http://demeconfeccoes.blogspot.com.br/2010/11/biquini-de-bojo-rosa-neon.html).
- Brenda: Pra q o biquíni??? Vamos lutar ou nadar???
- Mulher: Vc fala muito. Coloque e vamos começar???
Alguns momentos depois, eu volto já preparada para a ação. Aquele biquíni ficou ótimo em mim, seria bem legal poder vesti-lo, se não fosse uma situação totalmente maluca. Eu nunca coloquei um biquíni, se não fosse para desfilar ou tomar um banho.
- Brenda: Eu estou pronta.
- Mulher: Eu também.
- Brenda: Meu Deeeeus!!!
Pela primeira vez, vejo diretamente minha captora, é uma mulher alta, gorda e um tanto q musculosa, ela é grotesca. Está vestindo um maiô preto, usa botas e luvas pretas. Ela é mais alta e mais forte q eu. Como eu poderia vencer uma oponente assim, sendo q eu nem sei como lutar???
- Mulher: Brenda pode me chamar de pesadelo, pois, a partir de agora, é isso q vc viverá. Agora, venha para o centro???
Eu chego com um andar tímido. Pesadelo realmente me coloca medo, mas, eu não tenho nenhuma outra alternativa, é lutar ou apanhar sem reagir.
- Brenda: Estou pronta pesadelo.
- Pesadelo: Aqui vou eu!!!
Ela sobe numa arena improvisada, a aparência dela é muito intimidadora, ainda mais por aquela máscara preta q ela usa;
- Pesadelo: Vc primeiro faça o q quiser.
Pesadelo levanta as mãos e as coloca atrás da cabeça. Parece q ela quer q eu bata nela. Se ela é o q ela quer, eu o farei.
BAAAAAMMM!!!
Meu primeiro soco eu acertei na barriga dela, mas, vejo q não teve nenhum efeito, pq ela nem demonstrou dor.
- Pesadelo: Vai me bater ou fazer cócegas???
PAAAAAFFF!!!
Agora foi um soco nas costelas e mais uma vez nada.
Por alguns minutos, pesadelo permitiu q eu batesse nela, só q, nada do q eu fazia a afetava. Eu sentia músculos e gordura q amorteciam meus golpes, mas, eu também não tinha a força necessária para ferir uma mulher daquelas, eu sou uma modelo e não uma lutadora.
Eu tentava e tentava, mas, nada surtia efeito. Ela zoava com aminha cara, ela ria, bocejava e até sentia dor, mas, eu sabia q nada do q eu fazia dava certo. Eu já estava ficando cansada e já estava suada. E em um determinado momento... Ela segura minha mão.
- Pesadelo: Eu já lhe dei sua oportunidade fracote. Agora é a minha vez.
BUUUUAAAHHH!!!
Pesadelo atinge meu estômago com um violento soco. O impacto foi tão forte q me deixou sem ar. Lentamente, eu me ajoelho no chão e tento puxar ar.
- Pesadelo: Eu estava me divertindo vendo vc tentar me bater, mas, agora vou me divertir surrando vc.
Pesadelo pisa na minha bunda e depois empurra, isso faz com q eu caia de cara no chão.
- Pesadelo: Eu vou adorar registrar cada momento dessa surra. Poucas vezes pude bater em menininhas tão bonitinhas quanto vc.
Pesadelo agarra-me pelos cabelos e me puxa do chão.
- Pesadelo: Eu quero ouvir vc, gritar, gemer, chorar e pedir piedade.
Para o começo de meu martírio, pesadelo começa me jogando contra as paredes do local onde estamos. De um lado para o outro, hora me puxando pelo cabelo, outra vez pelo sutiã e algumas vezes pelo braço. Ela me joga para cada lado possível, como se quisesse derrubar as paredes usando meu corpo. Cada vez em q eu acerto a parede, antes de me jogar novamente, ela corre até mim para dar um soco no rosto, na barriga ou nos meus seios e até mesmo, joelhada na minha vagina. Essa mulher não perde uma única chance de castigar o meu corpo.
- Brenda: Aaaaaiaaaahhh!!!
Eu não aguentei mais tanta pancada e acabo caindo no chão mais uma vez. Eu começo a enfraquecer, pois, nunca na minha vida eu havia sofrido tanto. Eu não sou lutadora, isto está fora de qualquer limite do meu corpo.
- Pesadelo: O q vc acha de deixarmos as coisas mais interessantes???
- Brenda: O q??? Como assim???
Pesadelo coloca seus pulsos em baixo de minhas axilas e me levanta do chão, em seguida ela me conduz até a frente de uma câmera.
- Pesadelo: Quer saber como??? Vai ser assim!!!
- Brenda: Não!!! Pare, por favor???
Eu tento tirar as mãos dela, mas, ela é muito mais forte q eu, o q eu estou sentindo é q ela está rasgando o meu sutião.
RAAAAASSS!!!
- Pesadelo: Lindos seios sua puta.
Nunca me senti tão humilhada na vida. Pesadelo coloca meus braços para trás e posicionando minhas mãos atrás da minha cabeça e em seguida balança o meu corpo de um lado para o outro como se ela quisesse q a câmera gravasse meus seios expostos e balançando.
- Brenda: Para com isso??? Pq está fazendo isso???
- Pesadelo: Pagaram-me para fazer isso e eu amooooooo fazer o meu serviço bem feito.
Pesadelo atira-me ao chão, ela olha bem minha cara de medo e dor enquanto cubro meus seios com minhas mãos.
- Pesadelo: Garota, eu vou te humilhar tanto, q vc nunca mais vai querer mostrar a tua cara na rua.
Neste momento, aquela enorme e forte mulher, começa a tirar o seu maiô.
- Brenda: O q vc está fazendo??? Pq tá tirando a sua roupa???
- Pesadelo: Eu quero sentir vc melhor. Tira essa porra logo.
- Brenda: Não... Não... isso não.
Mesmo com meus maiores esforços, Pesadelo consegue tirar a minha calcinha.
Enquanto eu cubro minhas partes íntimas ela fica exibindo o biquíni para a câmera. Eu estou muito assustada, agora q ambas estamos nuas, o q ela pretende fazer???
Após sua pequena exibição, pesadelo coloca seu pé no meu rosto e me faz chupar seus dedos, um por um, ela coloca na minha boca.
Em seguida, ela senta em cima da minha barriga e amarra minhas mãos usando o sutiã e usando a calcinha, ela amarra o sutiã à uma pilastra. Está tão apertado q eu nem consigo me soltar.
- Pesadelo: Agora sim vc está como eu queria q vc estivesse.
- Brenda: Vc é louca.
Para meu delírio em dor, Pesadelo começa a beliscar os pequenos bicos dos meus seios. Ela aperta, torce, aperta de novo, morde suga e chupa.
- Brenda: AAAAIIIAAAHHH!!! OUUUUHHH!!!
- Pesadelo: Vc geme gostoso. Quer mais???
Agora ela ataca ambos ao mesmo tempo. Enquanto um seio esta sendo beliscado e apertado o outro está sendo mordido e chupado.
Aquilo me dava certo prazer, mas, a dor e a humilhação eram muito maiores, eu sabia q aquilo tudo era para eu ser humilhada em frente a uma câmera.
Meu corpo suado contorcia-se em dor e prazer, eu me esfregava no corpo da Pesadelo e sentia prazer, mas, aquele era diferente, não era um prazer bom, aquilo mais parecia uma submissão, uma humilhação e uma degradação de mim.
- Pesadelo: Gostando sua vadia??? Agora as coisas vão ficar mais quentes!!!
Pesadelo agora senta em cima de meus seios e esfrega sua vagina peluda neles. Eu estou tão indefesa, eu quero me soltar, mas, minhas mãos estão atadas e eu estou ficando mais fraca a cada momento q passa.
Ela faz movimentos circulares, ela faz movimentos de cima pra baixo e algumas vezes eu até sinto os meus bicos entrando na xana dela. Eu tento e tento me livrar, faço meus melhores esforços, mas, é tudo inútil, eu estou fraca e cansada. Ela é tão forte e eu... tão fraca.
Eu sinto meu corpo sendo consumido pela fome da vagina dela, eu me sinto esmagada e indefesa enquanto ela esfrega aquela vagina nos meus seios e me pressiona contra o chão.
- Pesadelo: Delícia. Agora para a próxima parte.
Agora ela vai para minha vagina. Ela é rosinha e macia e tem alguns pêlos.
Pesadelo agarra cada uma das minhas pernas e as afasta, então ela bate a vagina dela contra a minha.
- Brenda: AAAAAIAAAA!!! OOOOUUUHHH!!! OOOOOOHHH!!! UUUUUHUUU!!!
Ela empurra e puxa batendo minha buceta na dela e assim ela fica, nesse vai e volta. Cada vez q ela bate ela puxa mais forte e esfrega a buceta dela na minha e esfrega com força fazendo movimentos circulares e mantendo o maior contato possível.
Após isso, ela se ajoelha entre minhas pernas abertas.
- Pesadelo: É uma vadia mesmo. Tá com a vagina toda molhada e até parece q tá pedindo mais.
- Brenda: AAAAIIIHHH!!! UUUUUUIIIHHH!!! Vc só pode ser uma doente.
- Pesadelo: Eu não mandei vc falar.
PAAAAAAFFF!!!
Pesadelo dá um forte tapa na minha xana, em seguida vem puxões nos pelos da minha vagina e continua mordendo, socando, beliscando e enfiando seus dedos dentro de mim. Po fim, ela se levanta e pisa na minha vagina e enfia os dedos dentro dela.
Aquilo era totalmente impensável para mim. Nunca na minha vida eu imaginei ser tão violada como desse jeito. Eu estava nua, amarrada e com uma mulher muito maior q eu se esfregando em mim e me batendo, isso sem mencionar o fato de estar amarrada por um biquíni.
Eu começo a chorar por causa da dor e da humilhação.
- Pesadelo: Tá chorando amor??? Consumir o seu corpo está me dando um prazer q eu nunca senti. Vc é macia, cheirosa e geme como ninguém. Vai ser uma pena terminar isso.
Minhas mãos são desamarradas e eu sou colocada de pé, pesadelo me carrega no colo igual a um bebê e antes q eu desse por mim, ela me derruba de costas em cima de seu joelho. Sendo o alvo perfeito, ela soca meus seios, belisca e dá tapas em minha vagina e dá cotoveladas em minha barriga.
Por fim, pegando-me quase inconsciente em seus braços ela me abraça tão forte q eu sinto q ela estava me esmagando, depois ela corre e bate meu corpo contra a parede.
Ela esfrega e pressiona o corpo dela contra o meu na parede. Ela faz os seios dela “lutarem” contra os meus, elas os esfrega e isso faz parecer q os grandes seios dela estivessem engolindo os meus.
- Pesadelo: Hora de acabar com vc.
Ela me solta, mas, para mim isso não faz diferença, pois, estou tão cansada e fraca q acabo caindo no chão.
Por fim, Pesadelo me vira e senta-se bem em cima da minha cara. Ela esfrega aquela vagina peluda na minha cara, eu fico me debatendo, tentando respirar um pouco, eu me sinto sufocada e aos poucos vou perdendo  consciência. Lentamente eu vou adormecendo e tudo q vejo é aquela enorme mulher se esfregando em mim e quase tendo orgasmos por estar me humilhando daquele jeito. Não aguentando mais, eu desmaio.
- Pesadelo: Q linda é a bela adormecida, não??? Ela terá uma grande surpresa quando acordar.
Algumas horas depois, eu ainda continuo nua, mas, amarrada pelo biquíni a uma cadeira e após um grande esforço, eu consigo me soltar.
Ando um pouco e vejo minhas roupas em cima de uma mesa e em cima delas um envelope. Quando eu o abro vejo várias fotos da surra q eu levei, um dvd e um bilhete q dizia: “minha cliente terá exatamente o mesmo conteúdo deste envelope e fará o q bem entender. Espero q tenha se divertido, pois, para mim foi inesquecível. Com amor: Pesadelo.”
Fim

Um comentário :