quarta-feira, 16 de setembro de 2015

Conto - Acerto de Contas: Policial contra bandida!:)....enviado

Acerto de Contas: Policial contra bandida

Monique era uma policial linha dura numa cidade do interior de São Paulo, já tinha dado voz de prisão e, descido a pancada em bandidos metidos a valente, apesar do jeito de durona, ela era uma mulher muito gostosa. Tinha belos cabelos loiros que batiam na bunda, seios fartos de 98 cm. Bumbum com 100 cm. Olhos castanhos, uma mulher de 25 anos, muito da gata, mas apesar de tudo isso Monique tinha uma frustração.
            Em 2014, ela deixou escapar uma bandida perigosa e, assim como Monique gostosa, Mônica é o nome da criminosa, as duas trocaram tiros em um shopping, nenhuma das duas conseguiu acertar uma a outra, Mônica era uma loiraça como Monique, cabelos que batiam na bunda, 97 cm. De seios, bunda com 101 cm. Olhos castanhos, 24 anos de idade, muito gata também, Mônica acabou fugindo, mas, tanto ela quanto Mônica queriam acertar as contas.
            Passado 1 ano, Monique nossa policial teve uma surpresa, ela que costumava dormir nua, ouviu na sua casa um barulho vindo da cozinha, como estava nua, pensou em vestir um casaco, mas, desistiu e, foi nua mesmo, ao chegar para sua surpresa Mônica estava ali na sua frente.
            Mas, olha quem está aqui a vagabunda que eu não prendi, Mônica audácia sua aparecer aqui na minha casa.
            Mônica: Monique ta a fim de terminar o que começamos?
            Monique: Mas, é claro, vou pegar minhas roupas
            Mônica por quê?, vc está nua, posso me despir e brigamos nuas
            Monique: Excelente idéia, vamos combinar uma coisa, se vc vencer eu te deixo fugir, agora se eu vencer eu te prendo e, te levo nua pra cadeia
            Mônica: Perfeito, mas, que vai te arrebentar, sou eu disse Mônica tirando a roupa
            Monique: Eu não vou arrebentar vc, eu vou te destruir
            Ao terminar de tirar a roupa Mônica nua disse: Vem
            Monique e Mônica se agarraram pelos cabelos, tocaram socos e pontapés, mas, os cabelos eram os mais visados, as duas tinham cabelos grandes que iam até a bunda, ou seja, eram muitos fios para ser puxados, o que deixava a batalha bem sensual, com a nudez exposta. As duas arrancavam os cabelos e, deixavam mechas pelo chão a cada arranque a luta era muito equilibrada entre a policial e a bandida, após 1 hora de muito puxar de cabelo as duas se soltaram ofegantes e suadas.
            Monique: É, Mônica, nossos cabelos são fortes, jamais pensei que ia dizer mas, nenhum homem me deu tanta canseira.
            Mônica: É verdade mas, essa briga ta só no começo que tal botamos nossos seios nessa parada, aposto que meus seios arrancam os seios
            Monique: Vai sonhando já lutei muito titfight nunca fui derrotada, e, não vai ser uma loira azeda como vc que vai me vencer
            Mônica: ah, é vamos ver então.
 Com isso, se abraçaram e. começaram a apertar os seios uns contra os outros. A força se concentrava principalmente nos mamilos, mais vulneráveis e sensíveis, o aperto era tanto que parecem que iam se unir e formar uma só pessoa, as veias pulavam pra fora e costelas se retorciam
            Monique: Vamos Mônica só isso, quero sentir seus seios nos meus.
            Mônica: Vamos Monique aperta forte, quero uma luta pré valer
            Com isso Monique e Mônica apertavam-se ainda mais,os seios de mabas pareciam massas disformes, as veias soltavam pra fora, o sangue começava a escorrer, mas, nada fazia com que Monique e Mônica diminuíssem a força, pelo contrário a cada dor, mas, força colocavam.
            Após 1:30 Mônica e Monique foram se cansando, os seios pediam arrego, as duas ainda tentavam aperta los, incentivá los a briga, tudo em vão, começaram a se ajoelhar, e, por fim pediram clemência e, levantaram-se com dificuldade.
            Ai Mônica vc e eu somos duras na queda, estamos arrebentadas, cobertas de sangue
 Vc, tem razão Monique, mas, eu vou te vencer
 Nunca, e recomeçaram a briga, mas,ao invés de titfight, partiram para mordidas e arranhões, se arranhavam nas costas, pernas, barriga, cara,e mordiam os seios uma da outra com tamanha ferocidade que pareciam duas feras incontroláveis, a cada mordida uma narco de pele voava longe, os mamilos também eram alvo das mordidas.
            Monique: Te prepara Mônica vou arrancar os seios sem dó nem piedade
            Mônica: Faça-me rir quem vai arrancar peito sou eu.
            Continuavam mordendo-se, mas, no fim disseram
            Chega nossos seios são guerreiros mas, eles não agüenta mais, repousaram uma no ombro da outra,  Mônica ao ver a bunda de Monique não pensou 2 vezes e enfiou as unhas no popozão de Monique, que fez o mesmo com Mônica. As duas furavam ad nádegas com violência
            Isso não nos levará a nada Monique vamos usar nossos dentes
            Boa idéia, ficaram de quatro uma pra outra e começaram a furar e a morder a bunda uma da outra arrancavam sangue e pele da adversária.
            Monique: Vou arrancar a sua bunda e o seu cú, Mônica
            Mônica: vai sonhando vc não tem chance contra mim
            As duas continuavam mordendo a bunda uma da outra, mas notaram que o sacrifício viria da xana.
            Monique disse vamos de 69
            Blz.
            Mas, Mônica achava que seria um 69 comum, ledo engano Monique mordeu a xana de Mônica e começou a arrancar sangue e pedaço de pele e sangue, Mônica embarcou no desafio, mas, Monique era mais experiente e, depois de 20 minutos Mônica disse:
            Para vc ganhou não agüento mais piedade da minha racha
            Monique toda ferida se levantou e, puxou Mônica pelos cabelos pelas ruas da cidade e, a levou para delegacia, e de lá ela foi levada para o presídio, Monique ficou 3 dias no hospital se tratando das feridas ao sair recebeu medalha de honra ao mérito, quanto a Mônica ruminava vingança, haja vista, que ficou impossibilitada de transar por conta das mordidas de Monique.

Nenhum comentário :

Postar um comentário