sábado, 19 de dezembro de 2015

Conto Garotas de Programa!:)...parte 2....enviado

As Garotas de Programa
Continuação:


Os dias foram se passando, depois da grande luta já tinha ido dois meses. E Renata e Natalia continuavam se vendo todos os dias no ponto, mas elas não se atreviam a se pegarem. Parece que esse tempo que elas estavam dando uma para a outra era para ambas se recuperar bem e se prepararem para a próxima batalha que não tinham como evitar.

Renata estava muito brava pois o seu ganho tinha caído muito com o aumento da concorrência.. E Natalia também não estava muito contente em ter que dividir a clientela com Natalia.

Num certo dia no começo do expediente. As duas começaram se encarar, parece que era chegado a hora. Então ambas se aproximaram uma da outra olho no olho.

-E ai Vadia, já se recupero porque eu te quebrei toda aquele dia em. (Disse Natalia)
-Você que deve estar toda assada ainda porque eu me recuperei rapidinho. ( Respondeu Renata )
Ai Renata começou:

- Bom eu e você sabemos que a gente tem que terminar aquela luta. Eu conheço uma chácara para alugar bem fora da cidade, e não tem vizinhos. Lá tenho certeza ninguém vai aparecer para ajudar você.
Natalia Respondeu:

- Demoro pode marcar quando quiser estarei lá só eu e você.

- Quarta-Feira as 8:00 da manhã eu estarei lá te esperando. ( Disse Renata passando o endereço do local para Natalia )

Elas não contaram para ninguém que iam lutar de novo para não ter perigo de serem separadas as duas queriam muito decidir aquilo. As duas estava preparadas e sabiam que a luta seria muito dura e sofrida mesmo assim não fugiram.

Ambas aguardaram com ansiedade chegar o dia. Natalia chegou no endereço combinado era uma chácara muito bonita, com piscina, uma casa boa, garagem etc. O portão estava aberto e ela foi entrando e estacionou o carro lá dentro do lado do carro de Renata que já estava na casa.

Eram 8:30 da manhã um dia bonito sol já forte e fazia muito calor. Natalia estava bem a vontade de chinelo de dedo, uma Bermudinha e uma camiseta básica agarrada ao corpo. Foi só ela desliga o carro apareceu Renata, estava bem a vontade também, descalça uma saia curta e top. Renata já apertou o controle do portão da chácara que se fechou. A chácara era rodeada por muros, ninguém enxergava nada lá dentro, portão de chapa fechado. E realmente não tinha vizinhos nada por perto um lugar isolado realmente. Natali ficou olhando ao redor e viu que o lugar era perfeito.

- Isso é hora de chegar você está 30 minutos atrasada, está com medo de perde é? (Disse Renata encarando Natalia)
- Eu perder eu vim aqui acaba com tua raça, para de papo e vamos logo acabar com isso. (Respondeu Natalia)

As duas ali fora mesmo chegaram bem perto uma da outra se encarando, cara a cara, encostaram seio com seios já bem forte e ficaram se encarando, uma querendo devorar a outra. Ambas com muita raiva.
Então Renata disse:
- Venha me acompanhe.

Então as duas entraram dentro da casa, ao entrar Renata já tranca bem a porta da Sala. E segue para dentro da casa indo em direção a um cômodo. Renata para e começa tirar toda sua roupa e diz:
- Ali dentro não pode entrar com nada, com roupa nenhuma.
Então Natalia não perde tempo e tira logo os chinelos e toda sua roupa. E ficam as duas nuas.

Entram as duas no quarto, era um quarto bem pequeno, tinha um colchão grande de casal no chão e mais nada lá dentro nenhum móvel nada. A janela trancada com um cadeado. Renata pega e tranca a porta do quartinho também com a chave. Mostra a chave para Natalia sorrindo e joga a chave por baixo da porta para o lado de fora. E diz:
- Quero ver você sair agora. Hoje você não escapa.
- Você que não me escapa. ( Diz Natalia encarando Renata )

As duas estavam nervosas, muito tensas com o que aconteceria, ambas sabiam do que a outra era capaz e agora as duas ali trancadas isoladas não tinham como fugir mais.

Natalia então olha bem para colchão que estava no chão e sem tirar os olhos de Renata vai se afastando senta no meio do colchão. As duas já sabiam o que ia rolar. E com a pontinha do dedo indicador fez sinal chamando Renata para a briga.

Renata sem excitar foi em direção a Natalia as duas abriram as pernas e encaixaram bem xana com xana, se ajeitaram bem uma deu o tempo para a outra para elas se pegarem na melhor posição no melhor encaixe possível, quando as xanas se encostaram ambas sentiram que a outra estava já bem molhada, elas iam brigar mais a briga excitava as duas na outra briga as duas aviam gosado como nunca.

Após se encaixarem bem, as duas prontas começaram. As duas sentadas bem no meio da cama só com as xanas se tocando, Renata não queria dar mole já curvo bem o corpo e sem esperar já começou estocar com força, Natalia não ia deixar barato e também retribuiu, as duas estavam ainda mais fortes que na primeira luta ambas se prepararam muito para essa briga. Então as duas começaram uma querer fazer mais forte que a outra, a força que elas faziam era muito grande, parecia elas estavam medindo forças. Fizeram tanta força que não demorou muito e as duas acabaram gosando juntas. Elas ficaram meio moles após gosar mais não abandoaram a posição, depois de uns minutos já começaram de novo a roçada forte. Essa segunda demoro pois das duas estavam segurando para não gosar também. Elas acabaram ficando mais de uma hora se judiando ali, até que não aguentaram mais e gosaram juntas de novo dessa vez caindo de lado exaustas.

Ao caírem uma fico cara a cara com a outra. As duas já estavam exaustas tinham feito muita força e muito esforço as duas eram muito boas de briga ia ser difícil derrotar a outra. Elas se encarando e vendo como estavam exaustas uma não queria deixa a outra recuperar o folego de jeito nenhum.

Então elas deitadas mesmo já se aproximaram uma da outra frente a frente, encostaram seio com seio, se abraçaram e ficaram de lado uma para a outra, se entrelaçaram as pernas ficando uma com uma coxa da outra entre suas pernas. Com isso já começaram uma espremendo forte a coxa da outra entre suas pernas as duas gritavam de dor, ao mesmo tempo se abraçavam forte apertando um seio contra o outro isso causava uma dor muito grande uma na outra. Uma queria fazer a outra pedir água desistir de tanta dor, mas nenhuma das duas dava o braço a torcer. Então elas foram ficando insistindo naquela posição e foram horas ali, elas podiam parar e trocar as pernas espremer outra perna mas isso daria vantagem e elas não queriam isso uma queria era ver o sofrimento na cara da outra. De tanto apertar seio contra seio os seios das duas começou ficar inchados, vermelhos e esfolados, estava quase saindo sangue já dos seios de tanto se esfregar um no outro e elas não paravam.

Após muitas horas e insistência entre as duas ambas viram que não nenhuma ia desistir, então meio que por instinto elas se soltaram e mudaram de posição dessa vez agora com as xanas coladas, e os seios ainda grudados, começaram a esfregação de novo. Elas já estavam muito fracas, aquele dia estava muito quente as duas estavam ensopadas de suor, elas suavam muito e o quarto trancado era muito abafado.

Como elas estavam muito fracas não conseguiam fazer mais movimentos com muita força mas não se soltavam e iam se esfregando com a pouca força que restava. Durante todas essas horas de batalha elas não falavam nada apenas lutavam ferozmente, economizando toda força para a luta.

E ficaram umas 10 horas ali só se esfregando devagar uma minando as forças da outra, elas gosavam e continuavam sem se largar, quando não tinham mais forças ficavam só grudadas ali se apertando esperando voltar as forças.

Ambas sofreram muito cansaram muito. E a cada minuto que se passava de luta a raiva entre uma e outra aumentava. E nenhuma das duas desistia. Elas eram muito fortes e bravas. E nenhuma conseguia ser mais forte que a outra. Só que ali elas sabiam que não iam ser interrompidas então não paravam.

Depois de umas 18 horas de luta as duas completamente acabadas sem forças nenhuma muito judiadas, não conseguiam mais se judiar se bater. Renata no desespero começou querer soca a cara de Natalia mas não conseguia nem levantar mais os braços. Natalia também não conseguia mais fazer nada as duas estavam entrelaçadas grudadas em cima da cama mas não conseguiam se movimentar mais. A respiração das duas era muito ofegante, elas estavam muito suadas, com a cara vermelha, de tanto esforço que aviam feito. Mas elas queriam resolver a luta.

Então Natalia que estava por cima, abraçou forte Renata caindo jogando todo seu corpo por cima de Renata, e ficou com sua boca bem do lado da orelha de Renata, as duas paralisadas só sentindo os corpos suados exaustos se tocando. Então Natalia sussurrou no ouvido de Renata bem baixinho que ela não tinha mais voz para falar.
- Eu não vou deixar você sair daqui sem saber quem ganhou essa luta de novo.
Ambas sabiam que se elas fossem embora iriam ter que lutar novamente. Então acharam melhor fica ali até decidirem.
Renata Respondeu:
- Nem eu vou deixar você sair, vamos resolver isso então.

Elas lembraram do golpe final da outra luta e como não aguentavam mais de tanto sofrer resolveram fazer ele novamente.

As duas se largaram finalmente e uma foi tentando se arrastar para o lado contrário uma procurava colocar suas pernas entre o pescoço da outra. Uma delas poderia pegar a outra assim e acabar com a luta mais as duas queriam uma luta justa então ambas se prepararam ao mesmo tempo, Renata com seu pescoço entre as pernas de Natalia, e Natalia com seu pescoço entre as pernas de Renata. Elas demoraram um pouco para conseguir fica nessa posição pois estavam exaustas e não conseguiam se mexer mais. Até que se ajeitaram e uma deu o tempo para a outra se pegar bem na posição. A hora que as duas estavam bem encaixadas. Começaram, cruzando os pés e suas pernas eram muito fortes. Nas pernas ainda restava um pouco de força para as duas. Renata não penso duas vezes e mando ver apertar bem forte. Natalia desesperada tentava tirar as penas de Renata do seu pescoço mas não conseguia então não teve escolha e mando ver apertar forte o pescoço de Renata. Natalia estava já quase sem ar sufocando, ficando azul, mas apertava forte com todas suas forças que restavam o pescoço de Renata. Até que Renata parou de apertar, ufa alivio, ou ela desmaio ou morreu. Natalia estava exausta então parou, ficou imóvel não conseguia fazer mais nada. E ficou tomando um folego. E não demoro sentiu seu pescoço sendo apertado de novo e dessa vez mais forte ainda. Ai teve que começar de novo apertar com toda sua força o pescoço de Renata.

Isso vazia as duas sofrerem muito e fazerem muita força, ficaram assim por muito tempo. Até que Natalia não aquento mais, e desmaiou, Renata não penso duas vezes e não paro de apertar o pescoço de Natalia por nada, mesmo não sentindo mais reação dela continuo apertando. Aperto tanto e fez tanta força que quase desmaiou.

Quando se deu por satisfeita, Renata parou e ficou imóvel por muito tempo pois não tinha mais forças, elas lutaram por 20 horas.
Natalia estava morta sufocada pelas fortes pernas de Renata, só que Renata precisou fazer muita força e sofreu muito durante a luta. Elas estava exausta machucada e com sede. Dai se lembrou que tinha trancado a porta e jogado a chave para fora. Ela não tinha celular ali com ela, e não ia adiantar gritar pois ali ninguém iria ouvir.

Após uma semana que foi o tempo que Renata avia alugado a chácara o dono como, Renata não foi devolver a chave resolveu ir até a chácara ver o que tinha acontecido. Chegando lá viu os dois carros na garagem chamou ninguém respondeu então com a chave reserva que ele tinha entrou na casa.

Viu o quarto do fundo trancado e a chave no chão. Pegou a chave e abriu a porta. Encontrou Renata encostada na porta e a porta toda batida aranhada, e Natalia na cama. As duas já estavam mortas. As duas nuas, com sinais de muita briga. Pelo estado que os corpos estavam acabados deu para perceber que a luta tinha sido muito feia e violenta os corpos das duas estavam muito judiados.

FIM....

Nenhum comentário :

Postar um comentário