sexta-feira, 5 de fevereiro de 2016

Conto Catfight!:)....enviado

RIFIFI NO PUTEIRO :

                _ Vê onde pisa , quase pisou no meu celular.
                - Quem  mandou  colocar  esta titica no caminho? Não te ensinaram  a por suas coisas  em um lugar seguro? Da  próxima vez que encontrar esta coisa  feia no caminho , vou fazer questão  de pisar em cima.
                Esta conversa não muito  amistosa  estava sendo trocada  entre duas mulheres grandes , vestidas em roupões quase transparentes  em um salão com várias cadeiras reclináveis.
                As duas – como já pudemos notar -   nunca foram grandes amigas  desde que começaram a trabalhar na casa “ Ao seu doce prazer “ , em uma rua  movimentada do Cambuci.
                Durante um tempo  elas chegaram a se tornar amigas , em uma espécie de armistício ( o inimigo do meu inimigo é o meu amigo) . Com a despedida de uma garota com quem as duas não  gostavam , a disputa voltou. Cada uma se considerava a melhor da casa .
                Tendo sido mencionado o estado de animo que ligava as duas , se faz necessário que eu as apresente . assim como a gerente  e a vigilante :
                Eram duas loiras , de seus vinte e oito anos. Aproximavam-se na altura e no peso ( 1,90 e 90 quilos) , muito bem distribuídos em corpos atléticos, malhados, seios  voluptuosos , braços e pernas  fortes e roliças . A dona do celular se chamava Angelica  ( muito embora atendesse  por Claudia )  e a sua desafeto   se chamava Julia ( embora atendesse também por Bia )  A gerente da casa  era uma jovem senhora que ajudara a criar a casa  , e era  fisicamente quase igual ás duas inimigas . Já, a que tomava conta da segurança era outra loira bonita , um pouco mais chegada ao físico das halterofilistas . Tinha por nome Hilda , mas nunca mencionara seu nome verdadeiro.
                Tentarei contar aqui  o que ocorreu  quase uma semana após a quase destruição do celular .
                Tudo teria começado  logo na chegada  de3 Claudia. Por  alguma razão  que só mais tarde  se soube, ela teria entrado  porta a dentro  praticamente jogando  tudo o que trazia nas mãos ( celular, bolsa  e  um pequeno estojo ) . Em altos brados  Claudia chamava por Bia .
                -Aquela  desclassificada, fingida, hipócrita, rameira sem vergonha . Espero que  ela ainda não  tenha chegado , senão  vai acabar acontecendo  um crime aqui hoje. Aquela puta desequilibrada, rombuda. Olha só o que a talzinha  me mandou ontem á noite.
                Claudia abriu o pequeno estojo , lá estava um caixão  de cor vermelha ,  um boneco, com a fotografia da Claudia  e escrito “ Descance em páz”.
                _ Isso lá é coisa  que se faça ?  Se ela aparecer  aqui eu vou quebra-la inteirinha “.
                Hilda , que tudo ouvia saiu da sala e foi ter com a gerente. Em lá chegando informou tudo o que estava acontecendo, ao que a gerente só comentou :
                -Então ela recebeu  o estojo. Será que a Bia também ?
                -Sem duvida, pedi  que deixassem  com o porteiro  do prédio . Preparei tudo para hoje. Esta briga tem de acabar.
                Enquanto Claudia  era confortada pelas poucas garotas que  estavam  ali , Hilda arrumava o saguão  principal da casa ; bem á  tempo  da chegada de Bia .
                -Só  pode ter sido  aquela arrombada, aquela desclassificada, puta imunda . Me mandar  isso como sinal  de paz ? – falava levantando uma estatua onde um boneco com a fotografia da Bia estava sendo quilhotinada, com os dizeres  “ A justiça não há de falhar”..Vou acabar com ela.
                A gerente apareceu  e autoritária como poucas vezes falou , começou :

                - Bia ! Claudia!  Fiquem quietas . A  ideia disso foi minha; Se quiserem reclamar, façam isso com a Hilda. O que espero agora  que vocês resolvam suas desavenças como  duas mulheres . E que isso seja feito aqui , sob as nossas vistas .
                - O que ? – perguntou incrédula Claudia- esta brincando com a gente ? Que loucura é essa .Tá certo  que não vou muito com a Bia, mas deixar isso para uma briga , não acha demais ?
                - Não – respondeu  mansamente a gerente . Todas nos  sabemos que  vocês não  se adoram . Que vivem competindo  para ver quantos clientes atendem . A Hilda até  já viu  vocês  querendo  chegar  ás vias de fato. Só estou dando uma chance para vocês .
                Bia , que ate aquele momento não comentara nada, consegui um aparte :
                - Olha , dona. Eu também  não gosto muito da Claudia . Já chegamos  á brigar e até quis desafia-la para lutar comigo em meu apartamento. Mas fazer  isso aqui, só entre nos e sem  ganhar nada , é brincadeira . Se você  continua com esta ideia , posso até topar , mas quero ganhar com isso .
                - O que ? Viraram mercenárias ?
                -Não  - interrompeu Claudia – a Bia  tem razão . Ficar se batendo  só, correndo o risco  de  se machucar feio , e de graça ? Isso só poderia ter saído  desta sua cabeça oca.
                Hilda fez menção de se impor .
                -E você fique parada aí . Sua vez pode  chegar , não esqueça.
                - Não esqueça- repetiu  Bia.
                - Vamos parar com isso . SE  vocês estiverem de acordo , podemos fazer  isso na sexta . Pago estes dois dias  em que deixarão  de trabalhar  ,a questão  do valor desta brincadeira fica por sua conta. Se quiserem que abra para apostas , tudo bem.
                As duas se olharam , e como  se já houvessem  ensaiado , responderam  juntas :
                Topo.
                Os dias passaram entre descanso e treinamentos , enquanto a noticia corria de boca em boca   e começaram a aceitar apostas . Todo aquela movimentação  não estava empolgando Hilda, que estava cada vez mais enciumada e ensimesmada , deixando  inclusive de conversar . Até houve a idéia de demissão.    A gerente era um verdadeiro azougue. Até convidou um repórter de jornal de bairro.
                E chegou a noite . As duas  estavam na casa já á algumas horas . Prestaram atenção  as mudanças no salão ; um ringue  foi montado , tudo como manda o figurino . As garotas  e seus clientes  comentavam  o que estavam achando. Hilda  só observava . Até que um  rapaz fez sinal  para  as duas .
                Vou deixar de lado  encontro por quem tem  importância no  relato. As duas  se encontraram no ringue, vestidas com pequenos  biquínis. Não aguardaram muito  e já se engalfinharam  em um duplo abraço . Bia  pisa no pé de Claudia  que a solta rapidamente Bia trata de envolve-la pelo pescoço e dá uma cabeçada  na nuca da rival, dá uma pequena volta no corpo de Claudia e a empurra  contra o corner , Claudia se esquiva  e com o pé atinge as costas de Bia  que se sente  repentinamente  zonza. O que é aproveitado  por Claudia que a levanta e a joga no chão . Pula por cima e prende as pernas  e a cabeça; Todos assistem  não acreditam na rapidez da luta . Claudia a solta , leva até o corner e coloca a rival enviesada  na altura da segunda corda v, sobe até a ultima e se joga sobre a barriga de Bia, que cai  praticamente desacordada. A plateia grita : Claudia, Bia REVANCHE.
                Hilda  só comenta :
                “ Suspeitava. Vai começar tudo de novo. 

Nenhum comentário :

Postar um comentário