quarta-feira, 8 de junho de 2016

Conto: As presidiárias!:)....enviado



As Presidiárias

Paula, 36 anos, morena, 1,68 x 65 kg, estava preza já a 10 anos na penitenciária feminina, sobre o crime de ter matado outra mulher numa briga. Com todos esses anos presa sem ter o que fazer de dedicou muito a malhação e foi ficando cada vez mais forte. E como era boa de briga tipo que dominado a área. E ela era que mandava ali no pedaço ninguém encarava ela.
Até que entrou ali no presidio a Ana, 35 anos, morena, 1,70 x 67 kg, estava presa a uns 5 anos e foi transferida ali por mau comportamento no outro presidio que ela estava. Lá no outro presidio era Ana que mandava. E também foi presa por assassinato. Ana já chegou intimando todas e mostrando que queria assumir o controle de tudo ali. Chegou a brigar com algumas mulheres e deu uma surra nelas.
Paula Ficou sabendo mais viu que Ana era muito forte e que ali teria uma luta muito dura pela frente. Mas não tinha como fugir da luta porque senão perderia seu reinado. Ana estava louca para se pegar com Paula logo e assumir o seu posto.
Como Paula não tinha como mais fugir resolveu encarar a briga. Elas marcaram a briga no pátio. Como Paula tinha sua influência pediu para os guardas fazer vista grossa e deixa elas brigarem.
Chegou o dia, estava um dia de sol quente eram 14:00 horas. Todas as presidiarias já estavam no pátio aguardando a luta. Ana já estava lá pronta. Com um pop, uma bermuda nessas agarradas de academia e descalça.
E veio chegando Paula acompanhada de suas guardas costas. Ela vestia um top também e um shorts curtinho. Já veio descalça também.
As duas ficaram bem no centro do pátio, e as outras presas fizeram uma roda em volta para assistir a luta. Fazia tempo ninguém desafiava mais Paula. A luta seria muito violenta. As duas então correram uma em direção a outra e começaram lutar como loucas, uma boto a mão no pescoço da outra e as duas começaram a dar socos no estomago uma da outra. Os socos eram muito fortes mas as duas eram muito fortes também ficaram um tempo assim até que caíram cada uma para um lado no chão rolando de dor.
Após um tempo deram uma respirada e uma engatinho em direção a outra, já se agarraram com força e começaram rolar no chão uma puxando os cabelos da outra, até que elas se entrelaçaram e começaram medir forças uma espremendo a outra com toda suas forças. Até que Paula consegue soltar seu braço e dá com o cotovelo na cara de Ana, que começa a sangrar, Ana não perde tempo e começa encher de socos na cara de Paula que também começa a sangrar, então Paula dá um empurrão em Ana, e pula por cima dela com os joelhos no estomago dela e começa dar joelhadas fortes no estomago ela. Ana por baixo consegue pegar o pescoço de Paula no meio de suas pernas e puxa ela para baixo e começa espremer Ana no meio de suas pernas, Paula no desespero e uma distração de Ana também consegue colocar o pescoço de Ana entre suas pernas e as duas começam uma apertar o pescoço da outra muito forte entre suas pernas, como as duas eram muito fortes elas ficam muito tempo assim se espremendo e não se largam. Os guardas vendo isso percebem que só vão parar quando se matarem. Então resolvem separar as duas. Ana e Paula estavam tão travadas que precisou de uns 8 policiais para separar as duas. Elas não queriam parar a luta por nada mais foram obrigadas.
Como era regra da cadeia as duas foram arrancadas as roupas delas como castigo, e seriam jogadas numa sela pequena fechada sem janelas era o castigo delas. Como só tinha uma sela dessa de castigo vazia botão as duas nuas ali juntas na mesma cela. De castigo.
Elas estavam meio que atordoadas ainda da luta que tiveram e machucadas, e apanharam um pouco dos guardas e tomaram um banho de agua gelada..  Foi cada uma para um canto da cela. E ficaram se encaram. As duas nuas uma reparava bem nos músculos da outra.
As duas sabiam que não tinha como evitar outra briga ali. E as duas estavam loucas para continuar a briga de onde tinham parado. E uma não estava afim de deixar a outra descansar não. Então elas foram se aproximando uma da outra. Paula deitou no chão e abriu as pernas esperando Ana para se colocarem na mesma posição que estavam quando foram separadas. As duas eram guerreiras e não fugiam de uma boa disputa. Ana entendeu o recado se aproximou e colocou seu pescoço entre as pernas de Paula e Paula deixou que Ana também colocasse suas pernas em volta do seu pescoço. As duas se encaixaram bem ali no meio daquela cela apertada. Quando elas perceberam que estava bem encaixado ambas começaram ao mesmo tempo se espremerem com muita força. As duas tinham pernas musculosas e fortes. E as duas tinham muita resistência também elas sabiam que ali os guardas não iam aparecer para separar a Briga. Mesmo assim procuraram não fazer barulho ou gritar era uma luta silenciosa. Elas não queriam ser separadas novamente de forma alguma.
Então elas tiram todo tempo que precisavam para resolver a disputa. E ficaram muito tempo se espremendo forte e nenhuma das duas parava ou desistia. Se forçaram tanto que acabaram desmaiando ali mesmo. Depois de uns minutos Ana acorda e se vê ali ainda entrelaçada com Paula. Mas não sentia mais Paula a apertando. Imaginou agora é hora de eu acabar com essa luta de vez. E não pensou duas vezes e começou espremer o pescoço de Paula com todas suas forças, Paula ainda desmaiada com o aperto que Ana começou fazer acordou desesperada quase sem ar mas viu que o pescoço de Ana ainda estava entre suas pernas. No desespero voltou a espremer o pescoço de Ana também com todas suas forças. Ana mesmo estando na vantagem não aguentou mais e acabou desistindo da posição soltando Paula que fez o mesmo imediatamente as duas não aguentavam mais aquilo.
E as duas rolo uma para cada canto exaustas, com muita falta de ar sem forças para mais nada. Ficaram um tempo caídas no chão. Mas a raiva que estavam uma da outra era muita. Elas se viram uma para a outra e vão de encontro rastejando no chão da cela escura. Elas se pegam frente a frente e sem forças para se bater acabam se entrelaçando ficando colados peito com peito, as duas cara a cara. Elas se abraçam forte. E entrelaçam as pernas, Ana não perde tempo e começa esmagar a perna de Paula entre suas pernas e Paula começa fazer o mesmo. Paula trava os braços nas costas de Ana e tenta espremer ela entre seus braços, Ana faz o mesmo e os seios das duas se espremem com muita força, as duas fazem muita força e uma consegue ver a cara de dor da outra. Isso dá mais forças para uma espremer ainda mais forte a outra. Apesar de estarem sentindo muita dor ficam caladas em silencio. Os guardas podem ouvir. As duas ficam algumas horas nessa posição medindo forças uma querendo matar outra espremida. Mas as duas eram muito fortes. Depois de horas se apertando ficam totalmente exaustas, uma encapas de causar mais dor assim na outra. Elas soltam as pernas entrelaçadas e abrem as pernas deixando as xanas se tocarem. Como não conseguiam mais lutar resolvem humilhar uma a outra. O abraço que elas estavam se dando não soltam e continuam espremendo seio com seio. Mas lá em baixo começam esfregar xana x xana forte. Elas se encaixam bem e parece uma xana queria engolir a outra. As duas além de ser muito fortes tinham muita sensualidade. Se forçaram tanto e acabaram gosando as duas juntas. Após isso como já estavam exaustas, as duas pararam. Mas não se largaram continuaram ali travadas na mesma posição fadigadas, completamente acabadas. Se encaram com muita raiva uma não conseguia dominar a outra. Isso deixava elas loucas. Depois de uns 30 minutos paradas, Paula começa a esfrega sua xana na de Ana. Ana entende o recado e começa fazer o mesmo. Elas resolvem soltar o abraço forte ficam sentadas uma de frente a outra e decidem usar todas suas forças que restam na luta das aranhas. E se pegam com muita violência uma querendo machucar mesmo a xana da outra.. Ficam assim por um bom tempo. Até que Ana não aguenta e gosa. Paula aproveita para terminar a humilhação com Ana e pula em cima dela querendo roçar mais um pouco sua xana na de Ana para terminar com ela. Só que Ana consegue respirar fundo e arrumar forças para se defender e não fica parada e começa a luta de aranhas novamente. Paula fica desesperada pois suas forças estavam já no final e Ana parecia determinada. Elas se pegam forte denovo Paula faze de tudo para aguentar firme. Ana percebe e aumenta o ritmo e Paula acaba gosando e caindo exausta para traz. É hora de Ana aproveitar o momento e finalizar de vez com Paula. Só que as duas eram muito orgulhosas. E Ana queria mostrar que é a melhor então se encaixou bem em Paula e foi roçar mais um pouco sua xana na de Paula e mostrar quem que mandava. Paula caída em baixo quase sem forças se via sendo dominada por Ana, não podia aceita aquilo dá um empurrão para Ana sair de cima dela e se coloca sentada pronta para lutar mais. Ana cai em cima com tudo e Paula cai em cima com tudo de Ana também. As duas estavam muito exaustas já não conseguiam não achavam mais forças para continuar, mas não desistiram e continuaram ali se esfregando só que mais devagar. Ambas sabiam que dessa vez ia sair a vitoriosa, quem cair dessa vez não levantava mais. E as duas teimosas ficaram horas assim. Foi muito desgastante e sofrido para as duas. Até que Ana não resistiu mais e acabou gosando, e desabou no chão. Paula nem acreditava nem conseguia pensa direito estava quase desmaiando também. Ela olho e viu que Ana já estava desmaiada no chão. E ficou aliviada de ter ganhado a disputa e se jogou no chão do outro lado.
No dia seguinte quando os guardas voltaram para soltar as duas. Acharam as duas caídas ali no chão cheias de marcas, acabadas. As duas desmaiadas. Levaram elas para o hospital onde foram tratadas. Depois de uma semana estavam de volta. Paula voltou para o seu reinado. E Ana ficou na sua. Mas Paula sabia que um dia Ana ia querer revanche e ia estar sempre pronta para encara ela novamente...
FIM...

Nenhum comentário :

Postar um comentário